9 de maio de 2010


Hoje, depois dos pasteis de Belém de ontem, decidi pintar... E como não sabia bem, nem o que, nem porque, agarrei nas minhas velhas jardineiras...


Dizem que não sai!

Lisboa Menina e Moça

"No castelo ponho o cotovelo

Em Alfama descanso o olhar

E assim desfaço o novelo

De azul e mar

À Ribeira encosto a cabeça

A almofada da cama do Tejo

Com lençóis bordados à pressa

Na cambraia de um beijo.

Lisboa menina e moça, menina

Da luz que os meus olhos vêem, tão pura

Teus seios sãos as colinas, varina

Pregão que me traz à porta ternura

Cidade a ponto-luz bordada

Toalha à beira-mar estendida

Lisboa menina e moça e amada

Cidade amor da minha vida

No Terreiro eu passo por ti

Mas na Graça eu vejo-te nua

Quando um pombo te olha sorri

És mulher da rua.

E no bairro mais alto do sonho

Ponho o fado que sei inventar

A aguardente de vinho e medronho

Que me faz cantar.

Lisboa no meu amor deitada

Cidade por minhas mãos despida

Lisboa menina e moça e amada

Cidade mulher da minha vida."

Carlos do Carmo

3 de maio de 2010

lápis velhos?!


O que fazer com os restos dos lápis que acumulamos ao fim de alguns anos de existência? ;)


bolachinhas

Quando já não há nada para dar no Natal... Faz-se um miminho!
Por vezes nem sempre sai bem e aí é necessário voltar a fazer de novo! ;)

Diz quem comeu as "bolachinhas da mi" que estavam muito boas... Menos mau!

E torna-se divertido passar uns momentos em conjunto na cozinha em época natalícia! Experimentem!

E viva a super maquina da Lu!

Reaproveitando lápis velhos